terça-feira, 9 de setembro de 2008

Tropa de líderes

Os números de candidatos divulgados pelo TRE no Rio revelaram que a representação feminina continua imensamente desproporcional ao de candidatos homens. Para as eleições deste ano são 1.007 homens (77,1%) inscritos contra só 299 mulheres (22, 9%). A Lei Eleitoral exige que os partidos reservem 30% de suas vagas às mulheres, mas praticamente nenhum atingiu o limite legal.

No que depender do PTB, este quadro deve mudar, pois nós, mulheres, há muito tempo já provamos nossa capacidade de também participar das decisões sobre os destinos da sociedade. Neste sentido, mais uma vez o PTB inova ao implementar um projeto que procura incentivar a participação feminina na política. Trata-se do projeto Tropa de Baton, que se constitui numa série de eventos (cursos e seminários), que procura formar lideranças, que, com certeza, contribuirão para o fortalecimento do partido.

Historicamente, a mulher vem mostrando seu valor em todos os setores da sociedade, e já é hora de assumirmos uma posição de destaque também na política. Pois, é através da política que faremos as mudanças necessárias para promover a justiça e o bem-estar sociais. Esta é a minha luta! E é missão da Tropa de Baton.

Um comentário:

maristela disse...

A mulher sempre foi sujulgada tanto como se feminino comoser pensante.O filósofo Platão defendia a educação para as mulheres.Já Aristóteles, tinha uma visão distorcida da mulher.
De uma forma geral, após milênios de inferioridade e marginalização, a mulher começou a assumir importantes papeis na sociedade.Em tds os seguimentos.A jornada é grande, porém, são iniciativas como a Tropa de Batom, que contribuem efetivamente para melhorar o status da mulher na sociedade.
Cristiane Brasil, parabéns!